Plataforma SporTI MultiSports
Notícia - 21/08/2019 às 17:03:38
COMO TRANSFORMAR O ESPORTE EM SUA PROFISSÃO
Em 1 ano, funcionário de TI toma frente de Federação e já ocupa 85% da sua atividade com o esporte

Por ISABELLE TOFANI
BELO HORIZONTE, MG
Campeonato Paraense de Futebol 7 - Categoria Principal (Foto: Divulgação FF7PA)
Em depoimento dado pelo presidente da Federação do Pará, André Bortem, para a SporTI, o presidente fala sobre a sua trajetória desde Março de 2018, momento em que decidiu seguir a sua paixão pelo esporte e criar competições esportivas, até atualmente, com a criação da Copa Pará 2020 e as dimensões que ela está tomando.

André Bortem trabalhava na área de Tecnologia de Informação e “até aquele momento não tinha tido nenhum contato com experiência alguma sobre gerir competições. Tomar frente de uma Federação de Futebol foi um grande desafio” - disse ele.

A trajetória dele teve início em Março de 2018, quando André esteve na sede da CBF7 em Colatina/ES para aprender sobre gestão de Federação. Ele passou 4 dias junto ao José Luiz, presidente da CBF7; Jean Guilherme, diretor adjunto de arbitragem; Audinei, diretor financeiro da CBF7 e Mateus Zouain, que também trabalha na Federação capixaba. “Junto a eles, busquei informações de como fazer a gestão consciente de uma Federação, que até aquele momento eu não conhecia. A partir daí, após 1 semana de treinamento, eu iniciei os trabalhos aqui no Estado do Pará” - contou André Borcem.

“O esporte hoje já toma conta de 85% da minha atividade. Presumo que em uns 6 meses eu vou ter 100% da minha atividade trabalhando com o esporte. Foi realmente uma mudança muito grande de atividade: sair da minha área de TI para o esporte, que também tem relação com gestão, então consegui aplicar alguns conhecimentos dentro da Federação, mas claro, aprendendo e ouvindo muitas pessoas com experiência.” - disse ele.


Foto: Copa Pará 2019 - Sub 15 / Divulgação FF7PA

- A grande ideia aqui dentro do Estado do Pará foi trabalhar em polos onde uma cidade, chamada de cidade polo, fica equidistante de pelo menos outras 5 cidades a um tempo de uma hora. Isso viabiliza a concentração em uma competição regionalizada nesta cidade polo. A partir daí, ela é responsável por sediar uma competição municipal ou intermunicipal, e dela representante classificados vão fazer parte do grupo de uma competição maior no ano de 2020, a Copa Pará, onde elas vão continuar jogando dentro das regiões delas, diminuindo custos de translado,operacionais e de viagem.

Hoje, a Federação do Pará está presente em 3 regiões do Estado, sempre em busca de incluir novas equipes que ficam distantes dos grandes centros do Pará, fazendo com que essas equipes distantes possam ter oportunidade de disputar uma competição totalmente integrada com outras regiões dentro de um mesmo Estado, com o menor investimento possível. Isso dá oportunidade, é um processo de inclusão social e também mobiliza o mercado de diversas regiões desse grandioso Estado do Pará. Este projeto também já está sendo repassado para as outras federações novas da Região Norte, como Roraima, Amazonas, Acre e Amapá, para que eles consigam replicar esta ideia.


Foto: Campeonato Paraense Feminino 2019l / Divulgação FF7PA

E falando de uma competição com dimensões que abrangem um Estado, eu jamais poderia deixar de falar da SporTI. Sem a plataforma eu, a Federação e a nossa equipe jamais poderíamos ter um controle total de toda essa movimentação de equipes em cada um dos polos que estamos colocando dentro do Estado do Pará. Com a Plataforma, eu consegui fazer a gestão da movimentação de 10 polos ao mesmo tempo". 

O trabalho inicial é de fazer que as pessoas conheçam e entendam a plataforma, e é por isso que a cada visita que eu faço dentro de um desses polos, eu levo a palestra “O futebol 7 dentro e fora das 4 linhas”, onde eu apresento a modalidade, explico como o município vai atuar com a federação, reúno com árbitros locais e com as equipes e literalmente apresento a plataforma, como uma grande solução na gestão do futebol 7 e é claro, de outras modalidades do esporte que eu faço uso.
 
Estamos juntos levando modernidade e tecnologia  na gestão do futebol 7 no brasil. Federação, SporTI e CBF7: todos juntos nesta mobilização pela organização e tecnologia no esporte.” - afirmou André durante a entrevista.
publicidade